domingo, 21 de outubro de 2012

Trilho da Pedra Alçada - Serra D´Arga


Extensão e Duração    -    12 Km - 4 Horas
Grau de Dificuldade    -     Moderado
Localização    -    
Arga de S. João - Caminha
Ponto de Partida / Chegada    -     Igreja de Arga de S. João
Participantes    -     Alberto - Dulce - Miguel

 

     Este trilho foi uma espécie de "parto difícil"! Isto porque os planos iniciais, que passavam pela realização de um trilho linear fazendo a travessia integral da Serra D'Arga ligando Cerquido a Arga de S.João, acabaram por não se concretizar. O facto de ter havido pouca adesão do pessoal impossibilitou essa mesma concretização.
     No entanto, e como a vontade de ir para a serra era enorme, mesmo com a ameaça de previsão de chuva, lá fomos nós até Arga de S.João para efectuar o Trilho da Pedra Alçada. A tão esperada travessia fica assim adiada, talvez para a próxima Primavera/Verão.
     O trilho tem o seu início/fim junto da igreja de Arga de S.João e passa, entre outros, pela Pedra Alçada e pelo Mosteiro de S.João D'Arga. Saindo da igreja tomamos um caminho lajeado e enveredamos montanha acima. Esta primeira parte do trilho é sempre a subir até á Pedra Alçada, cerca de 4,5 kms com alguns declives bem acentuados, mas á medida que os nossos horizontes vão aumentando começa a valer a pena o esforço da subida. Num passo certo rapidamente chegamos á Pedra Alçada, ponto mais elevado do lado oeste da serra e belíssimo miradouro. E que miradouro este! Para além da vista privilegiada para o oceano Atlântico, conseguimos vislumbrar entre outros: o vale do rio Lima bem como o seu estuário, Viana do Castelo, o vale do Âncora, Vila Praia de Âncora, Caminha, o Minho e a sua foz, Santa Tecla já em terras galegas, e muito, muito mais! Nem o vento forte e frio que soprava nos fazia abandonar o local. Sobe penedo, desce penedo, mais um marco geodésico, mais uma fraga, estávamo-nos a divertir e isso era o importante!
     A parte seguinte do caminho era sempre a descer. Decidimos atalhar caminho, cortar mato. Ehh pah, como eu gosto de improvisar novos caminhos, ir á procura do desconhecido! Desta forma rapidamente chegamos á Chã do Guindeiro com o seu prado por onde se passeiam garranos em liberdade. Este é um local onde desaguam vários caminhos e é o ponto da serra onde se consegue fazer a travessia norte/sul e vice-versa, passagem obrigatória de romeiros a caminho do Mosteiro, vindos do lado sul da serra.
     A partir daí enveredamos por um secular caminho que a par do regato da Fisga nos levará até ao velho Mosteiro de S.João D'Arga. Este é um local mítico, cheio de história e de grandes peregrinações. Embora seja desconhecida a data da sua fundação, as suas características apontam para os finais do século XIII. A sua envolvente é encantadora com enormes pinheiros, cedros, carvalhos, sobreiros, enfim, um local acolhedor no meio do nada.
     Após pausa merecida para enganar o estômago, continuamos o caminho que desce agora pelo vale do ribeiro de S.João. O trilho leva-nos a uma ponte que nos permite atravessar o ribeiro seguindo em direcção á aldeia. E foi nesse local que tivemos mais uma agradável surpresa! Antes de atravessar a ponte resolvemos enveredar por entre a vegetação e descer um pouco mais, já fora do trilho, sempre junto á linha de água na procura de algo que nos surpreendesse e de repente diante de nós surge uma belíssima queda de água e lagoa natural com as suas águas límpidas, num local paradisíaco! Descemos mais um pouco e "outra" ainda maior! Que maravilha! Só foi pena o tempo não estar convidativo, porque a vontade de nos atirar lá para o meio era enorme. Fica para a próxima.
     Depois de uns largos minutos a desfrutar daquelas vistas regressamos á ponte para retomar o caminho que nos levaria á aldeia, sempre a subir mas sem grande dificuldade. Nesta zona a paisagem muda devido a um facto preocupante, pois actualmente a Serra D'Arga está a ser invadida pelo arbusto háquea-picante ou háquea-espinhosa. Trata-se de um arbusto espinhoso de origem australiana e é uma espécie exótica considerada invasora na legislação portuguesa. Acho que é urgente fazer algo para controlar esta "invasão". É impossível atravessar uma zona com esta planta, pois pica que se farta.
     Rapidamente chegamos aos primeiros campos cultivados junto da aldeia. Aqui nota-se o quanto calma é a vida daquelas gentes, longe do reboliço dos grandes aglomerados populacionais. Ali o tempo não conta! Ali vive-se! Mais umas centenas de metros e chegamos ao fim. Foi um belíssimo trilho, feito em bom ritmo (digo rápido), o que nos permitiu fazer pausas mais longas, desfrutando assim mais daquela bela serra. A Serra D'Arga tem muito para oferecer, é única, num contexto único, e fica a promessa de lá voltar-mos, dessa vez para a "tal" travessia.
     Esta caminhada e esta foto reportagem são dedicadas á Dulce e á Mónica, montanheiras de corpo e alma, que sem a sua persistência não se teria efectuado!

       
   
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
 
     
     

6 comentários:

  1. Boas pessoal,

    - Belo texto! Fiquei ainda mais empolgado e com a certeza de que tenho mesmo de colocar as botas na serra d'Arga. Em Janeiro não me escapa! Curti muito o pormenor da última fotografia... bem visto.

    Um Abraço Montanheiro,
    Pedro Durães

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro!
      Obrigado pelas palavras. Vais ver que valerá a pena "pôr as botas na serra D' Arga"!

      Abraço montanheiro,
      Alberto

      Eliminar
  2. Boas

    Pelo texto e pelas fotos já vi que foi uma grande actividade. Belas fotos.

    Parabens

    Abraço
    Mountain4ever

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá montanheiro!

      Foi de facto um belo dia! Tivemos de alterar o plano original mas foi muito, muito bom! Até o S. Pedro ajudou!
      Num futuro próximo voltaremos a 'atacar' por lá!

      Abraço montanheiro,
      Alberto

      Eliminar
  3. Olá pessoal parabens a reportagem está fantastica tanto escrita como fotografada,trilho interessante que conheço e aconselho a fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Serafim!

      Obrigado! O trilho é realmente interessante. Aliás, a serra D' Arga é cheia de bons motivos para se lá caminhar.

      Boas caminhadas;
      Alberto

      Eliminar